Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 10 – Jesus conquistava a confiança das pessoas – 3º trimestre, 27 de agosto a 3 de setembro de 2016

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – clique aqui.

Para a Meditação Matinal de hoje, clique aqui.

Para as antigas Meditações Matinais de Ellen White, clique aqui.

Ignore os anúncios abaixo.

Publicado em Comentário da Lição, Ligado na Videira | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Meditação Matinal

SETEMBRO – clique no dia/página desejado:
[Q01][S02][S03][D04][S05][T06][Q07][Q08][S09][S10]
[D11][S12][T13][Q14][Q15][S16][S17][D18][S19][T20]
[Q21][Q22][S23][S24][D25][S26][T27][Q28][Q29][S30]

AGOSTO – clique no dia/página desejado:
[S01][T02][Q03][Q04][S05][S06][D07][S08][T09][Q10]
[Q11][S12][S13][D14][S15][T16][Q17][Q18][S19][S20]
[D21][S22][T23][Q24][Q25][S26][S27][D28][S29][T30][Q31]

Maravilhosa Graça de Deus.
Meditação Matinal de Ellen White.
Leia o Comentário da Lição da Escola Sabatina 2016 – clique aqui.

Setembro
1° de setembro
Pág. 250
Visto e Ouvido
E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o Seu Filho como Salvador do mundo. I João 4:14.
Como testemunha de Cristo, João não se empenhou em controvérsia ou em fastidiosos debates. Declarou o que sabia, o que tinha visto e ouvido. Havia estado intimamente relacionado com Cristo, tinha-Lhe ouvido os ensinos, testemunhado Seus poderosos milagres. Poucos puderam, como João, ver as belezas do caráter de Cristo. Para ele as trevas tinham passado; brilhava a verdadeira luz. Seu testemunho com respeito à vida e morte do Salvador era claro e penetrante. Da abundância que havia no coração brotava o amor pelo Salvador enquanto ele falava; e poder algum lhe podia impedir as palavras. Atos dos Apóstolos, pág. 555.
Ele podia testificar: “O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida (e a Vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada), o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com Seu Filho, Jesus Cristo.” I João 1:1-3.
Assim pode cada um, por sua própria experiência, certificar-se de que “Deus é verdadeiro”. João 3:33. Pode dar testemunho daquilo que ele próprio tem visto, ouvido e sentido do poder de Cristo. Tem condições para atestar: “Eu necessitei de auxílio, e encontrei-o em Jesus. Toda necessidade foi suprida; a fome de minha alma foi satisfeita; a Bíblia é para mim a revelação de Cristo. Creio em Jesus, porque Ele é para mim o divino Salvador. Creio na Bíblia, porque descobri ser ela a voz de Deus à minha alma.” Testimonies, vol. 8, pág. 321.
Como conheceremos por nós mesmos a bondade de Deus e Seu amor? O salmista não nos diz: Ouvi, e conhecei, lede e sabei, ou crede e sabei. O que ele nos diz é: “Provai e vede que o Senhor é bom.” Sal. 34:8. Em vez de confiar na palavra de outrem, provai-O por vós mesmos. Experiência é conhecimento derivado do experimento. Experimentar a religião é o que é necessário agora. “Provai e vede que o Senhor é bom.” Testimonies, vol. 5, pág. 221.
2 de setembro
Pág. 251
Poder Para Obedecer
Porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade. Filip. 2:13.
A graça de Deus em Cristo é o fundamento da esperança do cristão e essa graça se manifestará em obediência. O Grande Conflito, pág. 256.
Cristo é o complacente, compassivo Redentor. Em Seu poder sustentador, homens e mulheres tornam-se fortes para resistir ao mal. Ao considerar o pecado, este se mostra excessivamente maligno aos olhos do pecador convicto. … Sente que suas faltas precisam ser vencidas e que os seus apetites e paixões devem ser sujeitados à vontade de Deus. … Havendo-se arrependido de suas transgressões contra a lei de Deus, ele procura ardentemente vencer o pecado. Busca revelar o poder da graça de Cristo, e é posto em contato pessoal com o Salvador. Mantém a Cristo constantemente diante de si. Orando, crendo, recebendo as bênçãos de que necessita, aproxima-se cada vez mais da norma que Deus tem para ele.
Novas virtudes são reveladas em seu caráter ao negar-se a si mesmo e exaltar a cruz, seguindo para onde Cristo o conduza. Ele ama ao Senhor Jesus de todo o coração, e Cristo Se torna sua sabedoria, justiça, santificação e redenção. …
A miraculosa atuação do poder da graça de Cristo é revelada na criação no homem de um novo coração, uma vida mais elevada, mais santo entusiasmo. Deus diz: “Dar-vos-ei coração novo.” Ezeq. 36:26. Não é isto, a renovação do homem, o maior milagre que se poderia realizar? Que não pode fazer o instrumento humano que pela fé toma posse do divino poder? Testimonies, vol. 9, págs. 151 e 152.
O esforço humano nada realiza sem o divino poder; e sem o concurso humano o esforço divino é em relação a muitos de nenhum proveito. Para tornar a graça de Deus nossa própria, precisamos desempenhar a nossa parte. Sua graça é dada para operar em nós o querer e o efetuar, mas nunca como substituto de nosso esforço. … Os que andam nos caminhos da obediência encontrarão muitos embaraços. Influências fortes e sutis podem ligá-los ao mundo; mas o Senhor é capaz de tornar sem efeito cada esforço que opere para derrotar os Seus escolhidos; em Sua força eles podem vencer cada tentação, triunfar sobre cada dificuldade. Profetas e Reis, pág. 487.
3 de setembro
Pág. 252
Resiste Satanás
Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar. I Cor. 10:13.
Está o homem disposto a se apoderar do divino poder, e com determinação e perseverança resistir a Satanás, conforme o exemplo que Cristo lhe deu em Seu conflito com o inimigo no deserto da tentação? Deus não pode salvar o homem contra a verdade deste, do poder dos ardis de Satanás. O homem precisa trabalhar com o seu poder humano, ajudado pelo divino de Cristo, a fim de resistir e vencer, a qualquer custo para si mesmo. Em suma, o homem precisa vencer como Cristo venceu. E então, pela vitória que é seu privilégio alcançar no todo-poderoso nome de Jesus, ele pode tornar-se herdeiro de Deus e co-herdeiro de Cristo. Este não seria o caso, se Cristo fizesse tudo sozinho para a vitória. O homem precisa fazer a sua parte; precisa ser vitorioso por sua própria conta, mediante a força e graça que Cristo lhe dá. Ele precisa ser coobreiro de Cristo na tarefa de vencer, e então será participante com Cristo em Sua glória. Testimonies, vol. 4, págs. 32 e 33.
As vítimas de maus hábitos devem ser despertadas para a necessidade de fazer esforços por si mesmos. Outros podem desenvolver os mais fervorosos empenhos para erguê-los, a graça de Deus pode-lhes ser abundantemente oferecida, Cristo pode rogar, Seus anjos ministrar; tudo, porém, será em vão, a menos que eles próprios despertem para pelejar o combate em seu favor. …
Os que põem em Cristo a confiança não devem ficar escravizados por nenhuma tendência ou hábito hereditário, ou cultivado. Em lugar de ficar subjugados em servidão à natureza inferior, devem reger todo apetite e paixão. Deus não nos deixou lutar com o mal em nossa própria, limitada força. Sejam quais forem nossas tendências herdadas ou cultivadas para o erro, podemos vencer, mediante o poder que Ele nos está disposto a comunicar. A Ciência do Bom Viver, págs. 174-176.
A tentação mais forte não pode desculpar o pecado. Por maior que seja a pressão exercida sobre a alma, a transgressão é o nosso próprio ato. Não está no poder da Terra nem do inferno compelir alguém a fazer o mal. Satanás ataca-nos em nossos pontos fracos, mas não é o caso de sermos vencidos. Por mais severo ou inesperado que seja o ataque, Deus nos proveu auxílio e em Sua força podemos vencer. Patriarcas e Profetas, pág. 421.
4 de setembro
Pág. 253
Torna-nos Vencedores
Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em Mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; Eu venci o mundo. João 16:33.
Cristo não falhou, nem Lhe faleceu o ânimo, e Seus seguidores têm de manifestar uma fé de natureza assim resistente. Cumpre-lhes viver como Ele viveu, e trabalhar como Ele trabalhou, pois nEle confiam como o grande Obreiro-Mestre.
Valor, energia e perseverança devem eles possuir. Conquanto aparentes impossibilidades lhes entravem o caminho, por Sua graça hão de ir avante. Em lugar de deplorar as dificuldades, são convidados a transpô-las. Não devem desesperar de coisa alguma, mas esperar tudo. Com a áurea cadeia de Seu incomparável amor, tem-nos Cristo ligado ao trono de Deus. É Seu desígnio que lhes pertença a mais alta influência do Universo, influência que emana da fonte de todo o poder. Têm de ter força para resistir ao mal, força que nem a Terra, nem a morte, nem o inferno podem dominar; força que os habilitará a vencer como Cristo venceu. O Desejado de Todas as Nações, págs. 679 e 680.
A Inspiração registra fielmente as faltas de homens bons, daqueles que se distinguiram pelo favor de Deus; efetivamente, suas faltas são apresentadas de modo mais completo do que as virtudes. …
Homens a quem Deus favoreceu, e a quem confiou grandes responsabilidades, foram algumas vezes vencidos pela tentação, e cometeram pecado, mesmo como nós, presentemente, esforçamo-nos, vacilamos, e freqüentemente caímos em erro. Sua vida, com todas as suas faltas e loucuras, estão patentes diante de nós, tanto para a nossa animação como advertência. Se eles fossem representados como estando sem faltas, nós, com a nossa natureza pecaminosa, poderíamos desesperar-nos pelos nossos erros e fracassos. Mas, vendo onde outros lutaram através de desânimos semelhantes aos nossos, onde caíram sob a tentação como o temos feito, e como todavia se reanimaram e venceram pela graça de Deus, animemo-nos em nosso esforço para alcançar a justiça. Como eles, embora algumas vezes repelidos, recuperaram o terreno, e foram abençoados por Deus, assim nós também podemos ser vencedores na força de Jesus. Patriarcas e Profetas, pág. 238.
A vida dos discípulos de Cristo tem de ser como a dEle, uma série de ininterruptas vitórias – que aqui não parecem vitórias, mas que serão reconhecidas como tais no grande porvir. Obreiros Evangélicos, pág. 515.
5 de setembro
Pág. 254
Domínio Próprio
Melhor é o longânimo do que o herói da guerra, e o que domina o seu espírito, do que o que toma uma cidade.  Prov. 16:32.
A mais alta prova de nobreza num cristão é o domínio próprio. Aquele que é capaz de ficar imóvel em meio de uma tempestade de injúrias é um dos heróis de Deus. Dominar o espírito é manter debaixo de disciplina o próprio eu; é resistir ao mal; é regular cada palavra e ação pela grande norma de justiça de Deus. O que aprendeu a dominar o espírito erguer-se-á acima das zombarias, das repulsas e incômodos a que estamos diariamente expostos, e estas coisas deixarão de lançar sombra sobre o seu espírito.
É desígnio de Deus que o real poder de uma razão santificada, dirigida pela graça divina, domine na vida dos seres humanos. O que domina o seu espírito está de posse de tal poder. Mensagens aos Jovens, pág. 134.
É o corpo um meio muito importante pelo qual a mente e a alma se desenvolvem para a edificação do caráter. Essa é a razão por que o adversário das almas dirige suas tentações no sentido do enfraquecimento e degradação das faculdades físicas. … O corpo deve ser posto em sujeição às faculdades mais altas do ser. As paixões deve ser controladas pela vontade que, por sua vez, deve ela mesma estar sob o controle de Deus. … Poder intelectual, vigor físico e longevidade dependem de leis imutáveis. Mediante a obediência a essas leis, pode o homem ser um conquistador de si mesmo, conquistador de suas próprias inclinações, conquistador de principados e potestades, dos “príncipes das trevas deste século”, e das “hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”. Efés. 6:12. …
Os jovens de hoje podem ter o espírito de que estava possuído Daniel; eles podem beber na mesma fonte de força, possuir o mesmo poder de domínio próprio, e revelar a mesma graça em sua vida, mesmo sob circunstâncias igualmente desfavoráveis. Embora assediados por tentações a serem condescendentes consigo mesmo, especialmente em nossas grandes cidades, onde toda forma de satisfação sensual se mostra fácil e convidativa, os seus propósitos de honrar a Deus permanecem não obstante firmes pela graça divina. Mediante forte resolução e atenta vigilância podem resistir a cada tentação que assalta a alma. Profetas e Reis, págs. 488-490.
6 de setembro
Pág. 255
Reforços de Anjo
Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo. Luc. 10:19.
O homem caído é legítimo cativo de Satanás. A missão de Cristo foi libertá-lo do poder de Seu grande adversário. O homem é naturalmente inclinado a seguir as sugestões de Satanás, e não pode resistir com êxito a tão terrível inimigo, a menos que Cristo, o poderoso vencedor, nele habite, guiando-lhe os desejos, e dando-lhe resistência. Unicamente Deus é capaz de limitar o poder do maligno. … Melhor que o povo de Deus, sabe Satanás o poder que esse povo pode ter sobre ele, quando fazem de Cristo a sua força. Quando eles rogam humildemente ao poderoso Vencedor que os auxilie, o mais fraco dos crentes na verdade, repousando firmemente em Cristo, pode com êxito repelir a Satanás e todas as suas hostes. …
Satanás chamará em sua ajuda legiões de seus anjos, para opor-se ao progresso de uma alma que seja, e, se possível, arrebatá-la da mão de Cristo. … Se, porém, a pessoa em perigo persevera, e em sua impotência se lança sobre os méritos do sangue de Cristo, nosso Salvador escuta a fervorosa oração da fé, e envia reforço daqueles anjos magníficos em poder, a fim de a libertar. Satanás não suporta que se apele para seu poderoso rival, pois teme e treme diante de Sua força e majestade. Ao som da fervorosa oração todo o exército de Satanás treme. Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 116, 120 e 121.
Coisa alguma senão a afetuosa compaixão de Cristo, Sua graça divina, Seu grande poder, podem habilitar-nos a desbaratar o incansável inimigo e subjugar a oposição de nosso próprio coração. Qual será nossa força? – A alegria do Senhor. Deixemos que o amor de Cristo nos encha o coração, e então estaremos preparados para receber o poder que Ele tem em reserva para nós. …
Contemplando a Cristo com o objetivo de se tornar semelhante a Ele, o indagador da verdade vê a perfeição dos princípios da lei de Deus e torna-se descontente com tudo exceto a perfeição. … Uma batalha precisa ser travada contra os atributos que Satanás tem estado a fortalecer para seu próprio uso. … Ele sabe, porém, que com o Redentor há poder salvador, que para ele ganhará a vitória no conflito. O Salvador fortalecerá e o ajudará quando ele se aproximar suplicando graça e eficiência. Review and Herald, 31 de março de 1904.
7 de setembro
Pág. 256
Para Disciplinar a Mente
Na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força. I Crôn. 29:12.
A mente é constituída de maneira que precisa estar ocupada seja com o bem, seja com o mal. Se toma um baixo nível, é geralmente porque é deixada a lidar com assuntos triviais. … O homem tem a faculdade de regular e controlar as atuações da mente, e imprimir direção à corrente de seus pensamentos. Isto exige, porém, maior esforço do que podemos fazer em nossa própria força. Devemos apoiar a mente em Deus, se quisermos ter pensamentos bons, e os devidos temas como meditação.
Poucos compreendem que é dever exercer domínio sobre seus pensamentos e imaginações. É difícil manter a mente indisciplinada fixa em assuntos proveitosos. Mas se os pensamentos não são devidamente empregados, a religião não pode se desenvolver na alma. A mente deve estar preocupada com coisas sagradas e eternas, do contrário nutrirá pensamentos frívolos e superficiais. Tanto as faculdades morais como as intelectuais, precisam ser disciplinadas, e se fortalecem e desenvolvem pelo exercício.
Para entender devidamente isto, precisamos lembrar que nosso coração é naturalmente depravado, e somos de nós mesmos incapazes de seguir reta direção. É unicamente pela graça de Deus aliada aos mais diligentes esforços de nossa parte, que podemos obter a vitória. …
O intelecto, bem como o coração, precisa consagrar-se ao serviço de Deus. Ele tem direito a tudo quanto há em nós. …
A busca de prazeres, frivolidade, dissipação mental e moral, estão inundando o mundo com sua desmoralizante influência. Todo cristão deve trabalhar no sentido de fazer refluir a maré de males, e salvar a juventude das influências que a fariam submergir em ruína. Que Deus nos ajude a forçar nosso caminho contra a corrente. Review and Herald, 4 de janeiro de 1881.
Sem o poder da graça de Deus e Seu Espírito, não nos é possível atingir a elevada norma por Ele posta diante de nós. Há uma divina excelência de caráter a que devemos chegar; e ao esforçar-nos para alcançar a norma do Céu, incentivos divinos nos impulsionarão avante, a mente ficará equilibrada, e o desassossego do coração será banido no repouso em Cristo. Review and Herald, 22 de setembro de 1891.
8 de setembro
Pág. 257
Nossa Força e Segurança
Sede fortalecidos no Senhor e na força do Seu poder.  Efés. 6:10.
Muitos são espiritualmente fracos porque olham para si mesmos em vez de olhar para Cristo. … Cristo é o grande Celeiro do qual podemos tirar força e felicidade em todo tempo. Por que, então desviamos os nossos olhos de Sua suficiência para olhar nossas fraquezas e deplorá-las? Por que esquecemos que Ele está pronto para ajudar-nos em todo tempo de necessidade? Nós O desonramos ao falar de nossa ineficiência. Em vez de olhar para nós mesmos, contemplemos a Jesus constantemente, tornando-nos cada dia mais e mais semelhantes a Ele, mais e mais capazes de falar a Seu respeito, melhor preparados para nos beneficiarmos de Sua bondade e ajuda, e de receber as bênçãos que nos são oferecidas. Ao vivermos assim em comunhão com Ele, tornamo-nos mais fortes em Sua força, um auxílio e uma bênção aos que nos cercam.
Cristo fez toda provisão para sermos fortes. Ele nos deu o Seu Espírito Santo, cuja função é trazer-nos à lembrança todas as promessas que Cristo fez, para que tenhamos paz e um suave senso de perdão. Se tão-somente mantivermos os olhos fixos no Salvador, e confiarmos em Seu poder, seremos cheios do senso de segurança, pois a justiça de Cristo tornar-se-á nossa justiça. …
Quando vos assaltarem tentações, como certamente há de acontecer, quando vos rodear o cuidado e a perplexidade, quando, aflitos e desanimados, estiverdes prestes a ceder ao desespero, fitai, oh, fitai o lugar em que, com o olhar da fé, contemplastes pela última vez a luz; e as trevas que vos envolvem dissipar-se-ão ao fulgurante brilho de Sua glória. Quando o pecado luta pelo predomínio em vossa vida, e vos oprime a consciência, quando a incredulidade vos tolda a mente, ide ao Salvador. Sua graça é suficiente para subjugar o pecado. Ele nos perdoará, dando-nos regozijo em Deus. Review and Herald, 1° de outubro de 1908.
Deus quer que nossa mente se expanda. Deseja colocar sobre nós a Sua graça. Podemos ter cada dia um banquete de iguarias; pois Deus pode abrir-nos todo o tesouro do Céu. Devemos ser um com Cristo, assim como Ele é um com o Pai, e o Pai nos amará como ama a Seu Filho. Podemos receber o mesmo auxílio que Cristo recebeu, podemos ter forças para qualquer emergência, pois Deus será nossa defesa, na frente e na retaguarda. Circundar-nos-á de todos os lados. Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 416.
9 de setembro
Pág. 258
Todo-Suficiente
Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. II Tim. 2:1.
As lições contidas nas palavras de Paulo a Timóteo são da maior importância para nós hoje. Insta com Timóteo a que seja “forte” – mas em sua própria sabedoria? Não, mas “na graça que está em Cristo Jesus”. Aquele que desejar ser um seguidor de Cristo não deve confiar em suas próprias habilidades, ou sentir-se confiante em si mesmo. Também não deve amesquinhar os seus esforços religiosos, evitando responsabilidades e permanecendo ineficiente na causa de Deus. … Se o cristão sente suas fraquezas, sua inabilidade, pondo sua confiança em Deus, verá que a graça de Cristo é suficiente para toda emergência.
O soldado de Cristo tem de enfrentar muitas formas de tentação, e resistir e vencer a todas. Quanto mais feroz o conflito, maior o suprimento de graça para enfrentar as necessidades da alma. … O verdadeiro cristão compreenderá o que significa passar por severos conflitos e difíceis experiências; mas firmemente crescerá na graça de Cristo para enfrentar com sucesso o inimigo de sua alma. … As trevas lhe pressionarão a alma às vezes, mas a luz verdadeira brilhará, os brilhantes raios do Sol da justiça espancarão as sombras, e… pela graça de Cristo ele estará capacitado a ser uma fiel testemunha das coisas que tem ouvido do inspirado mensageiro de Deus. … Ao assim comunicar a verdade a outros, o obreiro de Cristo obtém uma visão mais clara das abundantes provisões feitas para todos, da suficiência da graça de Cristo para todo tempo de conflito, tristezas e provas. Por meio do misterioso plano da redenção, foi provida graça, para que a obra imperfeita do instrumento humano seja aceita em nome de Jesus, nosso Advogado.
O homem tem pouco poder, e pode realizar apenas um pequeno trabalho, na melhor das hipóteses. … Deus é onipotente e em cada ponto em que necessitamos ajuda divina e a buscamos com sinceridade, ela será concedida. Deus empenhou Sua palavra de que Sua graça seria suficiente em vossa maior necessidade, em vosso mais agudo sofrimento. Cristo será para vós um auxílio presente, se vos apropriardes de Sua graça. Review and Herald, 16 de junho de 1896.
10 de setembro
Pág. 259
Para a Necessidade de Hoje
Como os teus dias, durará a tua paz. Deut. 33:25.
A promessa não é de que havemos de ter força hoje para uma emergência futura, de que a antecipada tribulação futura receberá de antemão a providência, antes que nos chegue. Podemos, se andarmos pela fé, esperar força e providência em nosso favor assim que nossas circunstâncias o exijam. Vivemos pela fé, não pela vista. As providências do Senhor têm a intenção de que Lhe peçamos justo as coisas de que necessitamos. A graça para amanhã, não nos será dada hoje. A necessidade dos homens é a oportunidade de Deus. … A graça de Deus nunca é dada para ser esbanjada, mal aplicada ou pervertida, ou para ficar enferrujando pela falta de uso. …
Enquanto vos estais desempenhando diariamente de responsabilidades no amor e temor de Deus, como filhos obedientes andando em toda humildade de espírito, força e sabedoria de Deus serão providas para enfrentardes toda circunstância difícil. …
Cumpre-nos manter-nos achegados dia a dia à Fonte de nossa força, e ao vir o inimigo como uma inundação, o Espírito do Senhor erguerá contra ele sua bandeira em nossa defesa. É certa a promessa de Deus, de que a força será proporcional aos nossos dias. Só podemos está confiantes quanto ao futuro na força que nos é dada para as necessidades presentes. … Não tomeis emprestadas ansiedades para o futuro. É hoje que nos encontramos em necessidade. Manuscrito 22, 1889.
Muitos, porém, se preocupam pela antecipação de aflições futuras. Estão continuamente a trazer para hoje as preocupações de amanhã. Assim, grande parte de suas tribulações são imaginárias. Para estas, Jesus não tomou providências. Ele promete graça apenas para o dia. Manda-nos que não nos preocupemos com os cuidados e tribulações de amanhã. …
O Senhor exige que cumpramos os deveres do dia de hoje, e lhe suportemos as provas. Hoje, devemos vigiar a fim de não pecarmos por palavras e atos. Cumpre-nos hoje louvar e honrar a Deus. Pelo exercício de uma fé viva hoje, temos de conquistar o inimigo. Precisamos buscar hoje a Deus, e estar decididos a não ficar satisfeitos sem Sua presença. Devemos vigiar e trabalhar e orar como se este fosse o último dia que nos fosse concedido. Quão intensamente zelosa, então, seria nossa vida! Quão de perto seguiríamos a Jesus em todas as nossas palavras e ações! Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 59 e 60.
11 de setembro
Pág. 260
Dá Força Ilimitada
Deus é a minha fortaleza e a minha força e Ele perfeitamente desembaraça o meu caminho. II Sam. 22:33.
Mal fazemos idéia da força que possuiríamos se nos ligássemos à fonte de toda força. Caímos repetidamente em pecado, e pensamos que isso deve ser sempre assim. Apegamo-nos a nossas fraquezas como se fossem qualquer coisa de que nos devêssemos orgulhar. Cristo nos diz que devemos pôr nosso rosto como um seixo, se quisermos vencer. Ele levou nossos pecados no próprio corpo ao madeiro; e mediante o poder que nos deu, é-nos possível resistir ao mundo, à carne e ao diabo. Não falemos, portanto, em nossas fraquezas e deficiências, mas em Cristo e Seu poder. Ao falarmos na força de Satanás, o inimigo consolida mais seu poder sobre nós. Quando falamos no poder do Onipotente, o inimigo é repelido. À medida que nos achegamos a Deus, Ele Se achega a nós. Mensagens aos Jovens, pág. 105.
A Palavra do Deus eterno é nosso guia. Por meio desta Palavra fomos feitos sábios para a salvação. Ela deve estar sempre em nossos lábios e em nosso coração. “Está escrito” deve ser nossa âncora. Os que fazem da Palavra de Deus o seu conselheiro compreendem as fraquezas do coração humano e o poder da graça de Deus para subjugar todo impulso impuro, não santificado. Seu coração está sempre a orar, e têm os anjos por sua santa guarda. Quando o inimigo vem como uma inundação, o Espírito de Deus ergue contra ele a sua bandeira. Há harmonia no coração, pois as preciosas e poderosas influências da verdade dominam. Testimonies, vol. 6, págs. 160 e 161.
Precisamos relacionar-nos melhor com a Bíblia. Poderíamos fechar a porta a muitas tentações, caso decorássemos passagens da Escritura. Barremos o caminho às tentações de Satanás com o “Está escrito”. Enfrentaremos conflitos a fim de provar nossa fé e coragem, porém eles nos tornarão fortes se vencermos pela graça que Jesus está pronto a conceder-nos. Precisamos crer, porém; precisamos apoderar-nos das promessas e não duvidar. Review and Herald, 13 de maio de 1884.
Dizei ao tentado que não olhe às circunstâncias, à fraqueza do próprio eu, ou ao poder da tentação, mas ao poder da Palavra de Deus. Toda a sua força nos pertence. A Ciência do Bom Viver, pág. 181.
12 de setembro
Pág. 261
Produz Cristãos Amorosos e Amáveis
A graça seja com todos os que amam sinceramente a nosso Senhor Jesus Cristo. Efés. 6:24.
Muitos se têm na conta de cristãos, simplesmente porque concordam com certos dogmas teológicos. Não introduziram, porém, a verdade na vida prática. Não creram nela nem a amaram; não receberam, portanto, o poder e a graça que advêm mediante a santificação da verdade. Os homens podem professar fé na verdade; mas, se ela não os torna sinceros, bondosos, pacientes, dominados, tomando prazer nas coisas de cima, é uma maldição a seu possuidor e, por meio de sua influência, uma maldição ao mundo. O Desejado de Todas as Nações, págs. 309 e 310.
O mundo precisa de evidências de cristianismo sincero. Professo cristianismo pode-se ver por toda a parte; mas quando o poder de Deus for visto em nossas igrejas, os membros farão as obras de Cristo. Os traços de caráter naturais e hereditários serão transformados. A habitação de Seu Espírito habilitá-los-á a revelar a semelhança de Cristo, e o êxito de seu trabalho será proporcional à pureza de sua piedade. Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 416.
Honremos nossa profissão de fé. Adornemos nossa vida com belos traços de caráter. Aspereza de linguagem e ação não vem de Cristo, mas de Satanás. Haveremos de, apegando-nos a nossas imperfeições e deformidades, fazer que Cristo Se envergonhe de nós? Sua graça nos é prometida. Se a recebermos, ela embelezará nossa vida. … A deformidade se transformará em bondade, perfeição. Nossa vida será adornada com as graças que tornaram tão bela a vida de Cristo.
O cristão verdadeiro e amável é o mais poderoso argumento, que se possa apresentar em favor da verdade bíblica. Semelhante homem. é representante de Cristo. Sua vida é a mais convincente prova que se possa aduzir, em favor do poder da graça divina. Review and Herald, 14 de janeiro de 1904.
Cada dia de nossa vida está carregado de responsabilidades que nós temos de enfrentar. Cada dia nossas palavras e atos estão fazendo impressão sobre aqueles com quem nos associamos. … O verdadeiro seguidor de Cristo fortalece os bons propósitos de todos aqueles com quem entra em contato. Diante de um mundo incrédulo e amante do pecado, ele revela o poder da graça de Deus e a perfeição do Seu caráter. Profetas e Reis, pág. 348.
13 de setembro
Pág. 262
Indica o Caminho
A fim de que o Senhor, teu Deus, nos mostre o caminho por onde havemos de andar e aquilo que havemos de fazer. Jer. 42:3.
Demorar-se na beleza, bondade, misericórdia e amor de Jesus é fortalecimento para as faculdades mentais e morais, e enquanto a mente é mantida educada para fazer as obras de Cristo, para ser filhos obedientes, habituar-vos-eis a perguntar: É este o caminho do Senhor? Agradar-Se-á Jesus de que eu faça isto? …
Muitos precisam fazer uma decidida mudança no tono de seus pensamentos e ações, se querem agradar a Jesus. Raramente podemos ver nossos pecados na contristante luz em que Deus o pode ver. Muitos se têm habituado a seguir uma conduta de pecado, e seus corações se endureceram sob o poder de Satanás. …
Mas quando na forma e graça de Deus eles colocam a mente contra as tentações de Satanás, ela fica clara, mais sensível o coração e a consciência sob a influência do Espirito de Deus, e o pecado aparece como é – excessivamente maligno. SDA Bible Commentary, vol. 3, pág. 1.150.
Todo ato de obediência a Cristo, todo ato de abnegação por amor dEle, toda prova devidamente suportada, toda vitória ganha sobre a tentação, é um passo dado na marcha para a glória da vitória final. Se tomamos a Cristo como nosso guia, Ele nos conduzirá a salvo. O maior dos pecadores não precisa errar seu caminho. Nenhum trêmulo pesquisador precisa deixar de andar na pura e santa luz. Embora seja o caminho tão estreito, tão santo que nele não se tolera pecado algum, foi todavia garantido acesso a todos, e nenhuma duvidosa e tremente alma necessita dizer: “Deus não cuida de mim.” …
E por todo o íngreme trilho que ascende em direção à vida eterna, encontram-se nascentes de alegria para refrigerar o cansado. Os que andam pelo caminho da sabedoria são, mesmo quando atribulados, eminentemente jubilosos; pois Aquele a quem sua alma ama caminha, invisível, ao seu lado. A cada passo ascendente, percebem, mais distintamente, o contato de Sua mão; a cada passo mais raios de glória vindos do Invisível lhes incidem na estrada; e seus hinos de louvor, alcançando sempre mais elevada nota, elevam-se para unir-se aos cânticos dos anjos perante o trono. “A vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” Prov. 4:18. O Maior Discurso de Cristo, págs. 140 e 141.
14 de setembro
Pág. 263
Para Aquele que Crê
Essa é a razão por que provém da fé, para que seja segundo a graça. Rom. 4:16.
Sem a graça de Cristo acha-se o pecador em estado desesperador; coisa alguma pode ser feita em seu favor; mas pela graça divina é comunicado ao homem poder sobrenatural, que opera em seu espírito, coração e caráter. É pela comunicação da graça de Cristo que se discerne o pecado em sua natureza odiosa, sendo afinal expulso do templo da alma. É pela graça que somos levados em comunhão com Cristo, para com Ele sermos associados na obra da salvação. A fé é a condição sob a qual Deus houve por bem prometer perdão aos pecadores; não que exista na fé qualquer virtude pela qual se mereça a salvação, mas porque a fé pode prevalecer-se dos méritos de Cristo, o remédio provido para o pecado. …
“Creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Ora àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida. Mas àquele que não pratica, mas crê nAquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.” Rom. 4:3-5. Justiça é obediência à lei. A lei requer justiça, e esta o pecador deve à lei; mas é ele incapaz de a apresentar. A única maneira em que pode alcançar a justiça é pela fé. Pela fé pode ele apresentar a Deus os méritos de Cristo, e o Senhor lança a obediência de Seu Filho a crédito do pecador. A justiça de Cristo é aceita em lugar do fracasso do homem, e Deus recebe, perdoa, justifica a alma arrependida e crente, trata-a como se fosse justa, e ama-a tal qual ama Seu Filho. Assim é que a fé é imputada como justiça; e a alma perdoada avança de graça em graça, de uma luz para luz maior. Mensagens Escolhidas, vol. 1, págs. 366 e 367.
O toque da fé abre-nos a casa do tesouro do poder e da sabedoria; e assim, por meio de instrumentos de barro, Deus realiza as maravilhas de Sua graça. Nossa grande necessidade hoje é essa fé viva. Precisamos saber que Jesus é verdadeiramente nosso; que Seu Espírito nos está purificando e sublimando o coração. Se os seguidores de Cristo tivessem fé genuína, com humildade e amor, que obra poderiam realizar! Que fruto se veria para glória de Deus! Review and Herald, 13 de dezembro de 1887.
15 de setembro
Pág. 264
Poder nas Promessas
Para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas. Heb. 6:12.
Cumpre manter-nos apegados à Palavra de Deus. Necessitamos de suas advertências e animações, suas ameaças e promessas. Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 57.
As Escrituras devem ser recebidas como a Palavra de Deus a nós, não meramente escrita, mas falada também. Quando os aflitos iam ter com Cristo, Ele os via não somente a eles que pediam auxílio, mas a todos quantos, através dos séculos, haviam de buscá-Lo com igual necessidade e idêntica fé. Quando disse ao paralítico: “Filho, tem bom ânimo; perdoados te são os teus pecados” (Mat. 9:2) … dirigia-Se a outros sofredores, oprimidos do pecado, que haviam de ir ter com Ele em busca de auxílio. O mesmo se dá quanto a todas as promessas da Palavra de Deus. Por meio delas, Ele nos está falando a nós, individualmente; falando tão diretamente, como se Lhe pudéssemos ouvir a voz. É por intermédio dessas promessas que Cristo nos comunica Sua graça e poder. Elas são folhas daquela árvore que é “para a saúde das nações”. Apoc. 22:2. Recebidas, assimiladas, elas serão a fortaleza do caráter, a inspiração e o sustentáculo da vida. Nenhuma outra coisa pode possuir tal poder restaurador. A Ciência do Bom Viver, pág. 122.
Deus ama Suas criaturas com um amor que é a um tempo terno e forte. Estabeleceu as leis da natureza; estas, porém, não são exigências arbitrárias. Todo “Não”, seja no que concerne à lei física como no que respeita à lei moral, implica uma promessa. Caso ela seja obedecida, nossos passos serão seguidos de bênçãos; se desobedecida, o resultado será perigo e infelicidade. As leis de Deus visam levar Seu povo mais perto dele. Ele os salvará do mal e os levará ao bem, se quiserem ser conduzidos; forçá-los, porém, Ele jamais fará. Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 144 e 145.
Somos demasiado sem fé. Oh! como desejaria poder levar nosso povo a ter fé em Deus! Eles não necessitam achar que, para exercer fé, precisam agitar-se a elevado estado de agitação. Tudo quanto têm a fazer é crer na Palavra de Deus, da mesma maneira que acreditam na palavra uns dos outros. Ele o disse, e cumprirá Sua Palavra. Confiai tranqüilamente em Sua promessa. … Dizei: Ele me disse isto em Sua Palavra, e cumprirá toda promessa que fez. Não fiqueis desassossegados. Sede confiantes. A Palavra de Deus é fiel. Procedei como sendo vosso Pai celeste digno de confiança. Mensagens Escolhidas, vol. 1, págs. 83 e 84.
16 de setembro
Pág. 265
Não com Pompa Mundana
Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana e sim no poder de Deus. I Cor. 2:5.
Jesus devia fazer Sua obra… não com pompa e exibição exterior, mas falando ao coração dos homens mediante uma vida de misericórdia e abnegação. …
Os seguidores de Cristo devem ser a luz do mundo; mas Deus não lhes manda fazer um esforço para brilhar. Ele não aprova nenhum esforço de satisfação própria para exibir uma bondade superior. Deseja que sua alma esteja imbuída dos princípios do Céu; então, ao se porem em contato com o mundo, revelarão a luz que neles está. Sua firme fidelidade, em todos os atos da vida, será um meio de iluminação.
As exibições mundanas, conquanto imponentes, são de nenhum valor aos olhos de Deus. Acima do que é visível e temporal, aprecia Ele o invisível e eterno. O primeiro só tem valor na medida em que exprime o segundo. As mais belas produções de arte não possuem beleza que se possa comparar à beleza de caráter, que é o fruto da operação do Espírito Santo na alma. …
O esforço humano na obra de Deus terá eficiência proporcional à consagrada devoção do obreiro – revelando o poder da graça de Cristo para transformar a vida. Devemos distinguir-nos do mundo porque Deus pôs Seu selo em nós, porque em nós manifesta Seu caráter de amor. Nosso Redentor nos cobre com Sua justiça.
Ao escolher homens e mulheres para Seu serviço, Deus não indaga se eles possuem riquezas mundanas, saber ou eloqüência. Pergunta: “Andam eles em tanta humildade que lhes possa ensinar o Meu caminho? Posso pôr em seus lábios as Minhas palavras? Representar-Me-ão?”
Deus pode usar cada pessoa exatamente na proporção em que pode introduzir-lhe Seu Espírito no templo da alma. O trabalho que Ele aceita é aquele que Lhe reflete a imagem. Seus seguidores devem levar, como credenciais perante o mundo, as indeléveis características de Seus princípios imortais. A Ciência do Bom Viver, págs. 36 e 37.
Jesus conhecia o nenhum valor das pompas terrestres, e não dava atenção a sua ostentação. Em Sua dignidade de alma, Sua elevação de caráter, Sua nobreza de princípio, estava Ele muito acima dos vãos costumes do mundo. Mensagens Escolhidas, vol. 1, págs. 259 e 260.
17 de setembro
Pág. 266
Bênçãos Multiplicadas
Graça e paz vos sejam multiplicadas, no pleno conhecimento de Deus e de Jesus, nosso Senhor. Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo dAquele que nos chamou para a Sua própria glória e virtude. II Ped. 1:2 e 3.
No primeiro capítulo da segunda epístola de Pedro, achareis a promessa de que graça e paz vos serão multiplicadas se acrescentardes “à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência, e à ciência temperança, e à temperança paciência, e à paciência piedade, e à piedade amor fraternal; e ao amor fraternal caridade”. II Ped. 1:5-7. Estas virtudes são tesouros admiráveis. …
Não nos esforçaremos para fazer o melhor uso possível de nossa capacidade no pouco tempo que ainda nos resta para viver neste mundo, acrescentando uma graça a outra, e uma capacidade a outra, mostrando que, nos lugares celestiais, temos acesso a uma fonte de poder? Cristo disse: “É-Me dado todo o poder no Céu e na Terra.” Mat. 28:18. Para que Lhe é dado o poder? – Para nós. Ele quer que compreendamos que voltou para o Céu como nosso Irmão mais velho, e que o poder ilimitado que Lhe é dado está à nossa disposição. …
Em tudo quanto fizermos e dissermos devemos representar a Cristo. Devemos viver a Sua vida. Os princípios em que Ele Se inspirava devem dirigir-nos a conduta com as pessoas com quem estamos ligados. Ao estarmos fortemente firmados em Cristo, possuímos uma força de que ser humano algum nos poderá despojar. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 384.
A influência espontânea e inconsciente de uma vida santa é o mais convincente sermão que se pode fazer em prol do cristianismo. O argumento, mesmo quando seja irrespondível, pode só provocar oposição; mas o exemplo piedoso tem um poder a que é impossível resistir completamente. Atos dos Apóstolos, pág. 511.
Por meio de Seu Filho, Deus revelou a excelência a que o homem é capaz de atingir. E Ele nos está desenvolvendo aos olhos do mundo como testemunhas vivas do que O homem pode se tornar mediante a graça de Cristo. …
Que honra nos confere Ele ao animar-nos a ser santos em nossa esfera, como o Pai o é em Sua esfera! E pelo Seu poder somos capazes de fazer isso; pois Ele declara: “É-Me dado todo o poder no Céu e na Terra”. Mat. 28:18. Esse ilimitado poder, é vosso privilégio e meu suplicar. Carta 20, 1902.
18 de setembro
Pág. 267
A Juventude Necessita Dele
Tu és a minha esperança, Senhor Deus; Tu és a minha confiança desde a minha mocidade. Sal. 71:5.
Há entre nós muitos rapazes e moças não ignorantes quanto a nossa fé, mas cujo coração nunca foi tocado pelo poder da divina graça. Como podemos nós, que professamos ser servos de Deus, passar dia após dia, semana após semana, indiferentes a sua condição? Se eles devessem morrer em seus pecados, sem ser advertidos, seu sangue seria requerido das mãos do sentinela que deixou de lhes dar aviso.
Por que não haveria de o trabalho feito pelos jovens que se acham em nossos limites ser considerado obra missionária da mais elevada espécie? Ela exige o mais delicado tato, a mais detida consideração, as mais fervorosas orações pela sabedoria celeste. A juventude é o objeto dos ataques especiais de Satanás; mas a bondade, a cortesia e a simpatia que brotam de um coração cheio do amor de Jesus, conquistar-lhes-ão a confiança, e salvá-los-ão de muitos laços do inimigo.
A juventude necessita mais do que uma atenção casual, mais do que uma ocasional palavra de animação. Precisa de uma obra esmerada, cuidadosa, apoiada pela oração. … Muitas vezes aqueles que passamos por alto indiferentemente, por julgarmos pelas aparências, possuem as melhores aptidões para serem obreiros, e corresponderão a todos os esforços feitos em seu favor. Obreiros Evangélicos, págs. 207 e 208.
Os pais adventistas do sétimo dia devem compreender de maneira mais ampla a sua responsabilidade como construtores de caráter. Deus põe diante deles o privilégio de fortalecer a Sua causa mediante a consagração e trabalhos de seus filhos. Deseja ver ajuntado dentre os lares de nosso povo um grande grupo de jovens que, devido às influências piedosas de seus lares, entregaram o coração a Ele, e saem a prestar-Lhe o mais elevado serviço de sua vida. Dirigidos e ensinados pela piedosa instrução do lar, pela influência do culto da manhã e da noite, e pelo exemplo coerente de pais que amam e temem a Deus, aprenderam a submeter-se a Deus como seu ensinador, e estão preparados para prestar-Lhe serviço aceitável como filhos e filhas fiéis. Tais jovens estão preparados para exporem ao mundo o poder e a graça de Cristo. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 131.
19 de setembro
Pág. 268
Para os Humildes
Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que Ele, em tempo oportuno, vos exalte. I Ped. 5:6.
Sermos revestidos de humildade não significa devermos ser de intelecto medíocre, aspirações deficientes, e covardes em nossa vida, esquivando-nos de cargos com medo de não sermos bem-sucedidos. A verdadeira humildade cumpre o propósito de Deus, confiante no Seu poder.
Deus opera por quem quer. Muitas vezes escolhe os instrumentos mais humildes para as maiores obras; porque Seu poder é revelado na fraqueza do homem. Temos nosso padrão e por ele declaramos uma coisa grande e outra pequena; mas Deus não avalia de conformidade com nossa medida. Não devemos supor que o que para nós é grande o é também para Deus, ou que o que para nós é pequeno também o é para Ele.
Não é cabível o vangloriar-nos de algum mérito. … A recompensa não é pelas obras, para que ninguém se glorie, mas pela graça. …
Não há religião na entronização do próprio eu. Aquele, cujo alvo é a glorificação própria, se encontrará destituído daquela graça que, somente, pode torná-lo eficiente no serviço de Cristo. Quando é tolerado o orgulho e a complacência própria, a obra é arruinada. …
O cristão que o é em sua vida particular, na renúncia diária do eu, na sinceridade de propósito e pureza de pensamento, em mansidão sob provocação, em fé e piedade, em fidelidade nas coisas mínimas, que na vida familiar representa o caráter de Cristo, esse pode ser mais precioso aos olhos de Deus que o missionário ou mártir de fama mundial. …
O segredo do êxito não é encontrado nem em nossa erudição, nem em nossa posição, nem em nosso número ou nos talentos a nós confiados, nem na vontade do homem. Cônscios de nossa deficiência devemos contemplar a Cristo, e por Ele que é a força por excelência, a expressão máxima do pensamento, o voluntário e obediente obterá uma vitória após outra.
Abençoado será o galardão da graça para os que trabalharam para Deus com simplicidade de fé e amor. Parábolas de Jesus, págs. 363, 364,401-404.
20 de setembro
Pág. 269
Para que Sejamos Superiores
O justo serve de guia para o seu companheiro, mas o caminho dos perversos os faz errar. Prov. 12:26.
O Senhor espera que Seus servos superem a outros na vida e no caráter. Ele colocou todos os recursos à disposição dos que O servem. O cristão é visto em todo o Universo como alguém que procura vencer, correndo a carreira que lhe está proposta, a fim de que logre obter o prêmio, isto é, a coroa imortal; mas se os que professam seguir a Cristo não deixarem claro que os seus motivos estão acima dos do mundo nesta grande disputa em que há tudo a ganhar ou tudo a perder, jamais será vitorioso. Ele deve fazer uso de toda faculdade que lhe é confiada, a fim de poder vencer o mundo, a carne e o diabo mediante o poder do Espírito Santo, pela graça abundantemente provida para que não lhe falhe nem se desanime, mas seja completo em Cristo, aceito no Amado.
Os que quiserem ser vencedores devem considerar o custo da salvação e calculá-lo. Fortes paixões humanas devem ser subjugadas; a vontade independente deve ser levada cativa a Cristo. O cristão deve compreender que não se pertence a si mesmo. Haverá tentações que terá de resistir, batalhas a serem travadas contra sua própria inclinação, pois o Senhor não aceita serviço incompleto. A hipocrisia é para Ele uma abominação. O seguidor de Cristo deve andar pela fé, como quem vê o invisível. Cristo será seu mais caro tesouro, seu todo em tudo.
Esta experiência é essencial aos que professam o nome de Cristo, pois sua influência penetra a conduta, e santifica a influência da vida cristã em seus efeitos sobre outros. As relações de negócios e intercâmbio de cristãos com homens do mundo serão santificados pela graça de Cristo; e onde quer que estejam, será criada uma atmosfera moral, que terá poder para o bem, pois respirará o espírito do Mestre.
Aquele que tem a mente de Cristo sabe que a segurança de sua conduta é manter-se junto de Jesus, seguindo a luz da vida. Ele não aceitará trabalho nem se empenhará em negócios que o impeçam de alcançar a perfeição do caráter cristão. … “Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer Àquele que o arregimentou.” II Tim. 2:4. Review and Herald, 16 de junho de 1896.
21 de setembro
Pág. 270
Fonte de Influência Correta
Então, romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda. Isa. 58:8.
O Senhor tem uma obra especial a fazer por nós individualmente. Ao vermos a impiedade do mundo trazida à luz nos tribunais de justiça e publicada nos jornais diários, aproximemo-nos de Deus e, pela fé viva, apeguemo-nos às Suas promessas, para que a graça de Cristo seja manifesta em nós. Podemos exercer influência, poderosa influência, no mundo. … Nosso único fito deve ser a glória de Deus. Cumpre-nos trabalhar com toda a inteligência que Deus nos deu, colocando-nos no conduto de luz, a fim de que venha sobre nós a graça divina para moldar-nos e talhar-nos à semelhança divina. O Céu está à espera para conceder suas mais ricas bênçãos aos que se consagrarem à obra de Deus, nos últimos dias da história terrestre. Mensagens aos Jovens, pág. 26.
Nada há em nós com que possamos influenciar a outros para o bem. Se reconhecermos nossa falta de recurso e a necessidade de poder divino, não confiaremos em nós mesmos. Não sabemos que conseqüências terão um dia, uma hora ou um momento, e nunca devemos começar o dia sem encomendar nossos caminhos ao Pai celeste. Anjos Seus são comissionados para cuidarem de nós, e se nos colocarmos sob sua proteção, no tempo de perigo estarão à nossa destra. Quando inconscientemente estivermos em perigo de exercer influência má, os anjos estarão ao nosso lado, orientando-nos para um melhor procedimento, escolhendo-nos as palavras, e influenciando-nos as ações. Assim, nossa influência pode ser silenciosa e inconsciente, mas forte para atrair outros a Cristo e ao mundo celeste. Parábolas de Jesus, págs. 341 e 342.
A influência pessoal é um poder. Ela deve operar com a influência de Cristo, para exaltar onde Cristo exalta, comunicar princípios corretos e deter o progresso da corrupção do mundo. Deve difundir aquela graça que somente Cristo pode repartir. Deve elevar, dulcificar a vida e caráter de outros pelo poder de um exemplo puro, unido a fervente fé e amor. Profetas e Reis, pág. 232.
22 de setembro
Pág. 271
Para a Carreira da Vida
Desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus. Heb. 12:1 e 2.
Inveja, malícia, ruins suspeitas, maledicências, cobiça – são embaraços que o cristão deve pôr de lado, se quiser correr com êxito a carreira para a imortalidade. Cada hábito ou prática que conduz ao pecado e leva a desonra a Cristo, precisa ser posto de lado, seja qual for o sacrifício. A bênção do Céu não pode acompanhar qualquer homem em violação dos eternos princípios de justiça. …
Os competidores nos antigos jogos, depois de se haverem submetido à renúncia e rígida disciplina, não estavam ainda assim seguros da vitória. … Não importa com quanto entusiasmo e ardor tivessem corrido os competidores, o prêmio seria apenas de um. A mão de um apenas agarraria o cobiçado galardão. Alguns podiam dedicar supremo esforço para obter o prêmio, mas ao estenderem a mão para apanhá-lo, outro, um instante antes dele, poderia arrebatar-lhe o cobiçado tesouro.
Tal não é o caso na milícia cristã. Ninguém que se submete às condições ficará desapontado ao fim da carreira. Ninguém que seja fervoroso e perseverante deixará de alcançar sucesso. Não é dos ligeiros a carreira, nem dos valentes a peleja. O mais fraco dos santos, bem como o mais forte, podem alcançar a coroa de glória imortal. Podem vencer todos os que, pelo poder da divina graça, conduzem a vida em conformidade com a vontade de Cristo. … Cada ato acrescenta seu peso na balança que determina a vitória ou fracasso na vida. E a recompensa dada aos que triunfam será proporcional à energia e fervor com que lutaram. …
Paulo sabia que sua batalha contra o mal não terminaria enquanto ele tivesse vida. Sempre sentia a necessidade de colocar estrita guarda sobre si mesmo, para que os desejos terrestres não lograssem minar seu zelo espiritual. Com todas as suas forças continuava a lutar contra as inclinações naturais. Sempre mantinha diante de si o ideal a ser alcançado, e esse ideal procurava ele alcançar mediante voluntária obediência à lei de Deus. Suas palavras, atos e paixões – tudo era posto sob o controle do Espírito de Deus. Atos dos Apóstolos, págs. 312-315.
23 de setembro
Pág. 272
Falar de Seu Poder
Falarão da glória do Teu reino e confessarão o Teu poder. Sal. 145:11.
Se os cristãos entretivessem convivência, falando entre si do amor de Deus e das preciosas verdades da redenção, seu próprio coração seria refrigerado, ao mesmo tempo que levariam refrigério uns aos outros. Devemos aprender diariamente de nosso Pai celeste, alcançando nova experiência de Sua graça; desejaremos então falar acerca de Seu amor e, assim fazendo, nosso próprio coração crescerá em ânimo e fervor. Se pensássemos e falássemos mais em Jesus, e menos em nós mesmos teríamos muito mais de Sua presença.
Se pensássemos em Deus ao menos tantas vezes quantas vemos Suas demonstrações de cuidado por nós, havíamos de tê-Lo sempre em mente, deleitando-nos em falar a Seu respeito e em louvá-Lo. Falamos sobre as coisas temporais, porque nelas nos interessamos. Falamos em nossos amigos, porque lhes temos amor; com eles compartilhamos as dores e alegrias. Temos, no entanto, razões infinitamente maiores para amar a Deus, do que aos nossos amigos terrestres; e deveria ser a coisa mais natural do mundo dar-Lhe o primeiro lugar em nossos pensamentos, falar de Sua bondade e de Seu poder. Caminho a Cristo, págs. 101 e 102.
Os que obedecem à Palavra de Deus, e dia a dia recebem instrução de Cristo, trazem a marca dos princípios celestiais. Deles procede uma elevada e santa influência. Uma atmosfera edificante lhes circunda a vida. Os puros, santos e elevados princípios que eles seguem, habilitam-nos a dar um testemunho vivo do poder da graça divina. Review and Herald, 27 de julho de 1905.
Cristo quer que Seus seguidores sejam semelhantes a Ele, porque deseja ser representado corretamente no círculo familiar, na igreja e no mundo. … Devemos aceitar a Cristo como nossa eficiência, nossa força, para que possamos revelar ao mundo o Seu caráter. Esta é a obra que pesa sobre nós, cristãos. Devemos dar testemunho do poder da graça celestial. …
Deus deseja que Seus filhos e filhas revelem perante a sinagoga de Satanás, perante o universo celestial, perante o mundo, o poder de Sua graça, para que homens e anjos saibam que Cristo não morreu em vão. Mostremos ao mundo que temos poder vindo do alto. Manuscrito 38, 1901.
24 de setembro
Pág. 273
Poder Para Abalar o Mundo
Na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça, quer ofensivas, quer defensivas. II Cor. 6:7.
A comissão dada por Cristo aos discípulos foi cumprida. Ao saírem esses mensageiros da cruz a proclamar o evangelho, houve tal revelação da glória de Deus como nunca antes fora testemunhada pelos mortais. Mediante a cooperação do Espírito divino, os apóstolos fizeram uma obra que abalou o mundo. O evangelho foi levado a todas as nações numa única geração.
Gloriosos foram os resultados que acompanharam o ministério dos apóstolos escolhidos de Cristo. No começo de seu ministério, alguns deles eram homens sem instrução, mas sua consagração à causa de seu Mestre era sem reservas, e, ensinados por Ele, alcançaram o preparo necessário para a grande obra que lhes foi confiada. Graça e verdade reinavam em seu coração, inspirando-lhes os motivos e regendo-lhes os atos. Traziam a vida escondida com Cristo em Deus, e o próprio eu perdeu-se de vista, submergindo nas profundezas do infinito amor. … Jesus Cristo, poder e sabedoria de Deus, era o tema de todos os seus discursos. … Ao proclamarem a plenitude de Cristo, o Salvador ressuscitado, suas palavras tocavam os corações, e homens e mulheres eram ganhos para o evangelho. Multidões que haviam injuriado o nome do Salvador e desprezado Seu poder, confessavam-se agora discípulos do Crucificado.
Não foi com o seu próprio poder que os apóstolos cumpriram sua missão, mas no poder do Deus vivo. … A consciência da responsabilidade que repousava sobre eles, enriquecia-lhes a vida cristã; e a graça celeste revelava-se nas conquistas que faziam para Cristo. Com a força da onipotência, Deus operava por meio deles para tornar o evangelho triunfante.
Como Cristo enviou Seus discípulos, assim envia Ele hoje os membros de Sua igreja. Está-lhes reservado o mesmo poder que os apóstolos possuíam. Se fizerem de Deus sua força, Ele cooperará com eles, e não hão de trabalhar em vão. Compreendam que a obra em que se acham empenhados tem sobre si impresso o sinete de Deus. … E Ele nos ordena que vamos e falemos as palavras que nos dá, sentindo Seu santo contato em nossos lábios. Atos dos Apóstolos, págs. 593-595, 599 e 600.
25 de setembro
Pág. 274
A Divisa do Cristão
Ora, Àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos, ou pensamos, conforme o Seu poder que opera em nós. Efés. 3:20.
O Senhor está aguardando para manifestar Sua graça e poder por meio de Seu povo. Mas Ele requer que os que se empenham em Seu serviço tenham a mente sempre dirigida para Ele. Devem ter tempo cada dia para a leitura da Palavra de Deus e a oração. …
Devemos andar e falar com Deus individualmente; então a sagrada influência do evangelho de Cristo em toda a sua preciosidade aparecerá em nossa vida. Testimonies, vol. 6, pág. 253.
Há uma eloqüência mais poderosa do que a eloqüência de meras palavras na tranqüila e coerente vida do puro e verdadeiro cristão. O que o homem é tem mais influência do que o que ele diz.
Os guardas que haviam sido enviados a Jesus voltaram dizendo que jamais homem algum tinha falado como Ele. Mas o segredo estava em que jamais homem algum tinha vivido como Ele viveu. Tivesse sido outra a Sua vida e não poderia ter falado como falou. Suas palavras traziam consigo força convincente, porque brotavam de um coração puro e santo, cheio de amor e simpatia, benevolência e verdade.
É nosso caráter e experiência que determinam nossa influência sobre o próximo. A fim de convencer os outros acerca do poder da graça de Cristo, devemos ter experimentado o Seu poder em nosso próprio coração e vida. O Evangelho que apresentamos para a salvação das almas deve ser o Evangelho pelo qual nós mesmos sejamos salvos. Só por uma fé viva em Cristo como Salvador pessoal é que se torna possível fazer sentir nossa influência num mundo incrédulo. Se queremos retirar os pecadores da impetuosa corrente, devemos firmar os pés sobre a Rocha, Jesus Cristo.
A divisa do cristianismo não é um sinal exterior; não consiste em trazer uma cruz ou coroa, mas sim em tudo o que revela a união do homem com Deus. Pelo poder da Sua graça manifestado na transformação do caráter, o mundo será convencido de que Deus enviou Seu Filho como Redentor. Nenhuma influência que possa rodear a alma tem mais poder do que a de uma vida abnegada. O mais forte argumento em favor do evangelho é um cristão que sabe amar e é amável. A Ciência do Bom Viver, págs. 469 e 470.
26 de setembro
Pág. 275
Irresistível
Como é grande a Tua bondade, que reservaste aos que Te temem, da qual usas, perante os filhos dos homens. Sal. 31:19.
O Senhor nos chama a confessar Sua bondade. … Nossa confissão de Sua fidelidade é o meio escolhido pelo Céu para revelar Cristo ao mundo. Temos de reconhecer-Lhe a graça segundo nos é dada a conhecer através dos santos homens da antiguidade; mas o que será mais eficaz é o testemunho de nossa própria experiência. Somos testemunhas de Deus, ao revelar em nós mesmos a operação de um poder que é divino. Cada indivíduo tem uma vida diversa da de todos os outros, uma experiência que difere essencialmente da sua. Deus deseja que nosso louvor a Ele ascenda, com o cunho de nossa própria individualidade. Esses preciosos reconhecimentos para louvor da glória de Sua graça, quando corroborados por uma vida semelhante à de Cristo, possuem irresistível poder, eficaz para salvação de almas. O Desejado de Todas as Nações, pág. 347.
Se devemos confessar a Cristo, precisamos tê-Lo para confessar. Ninguém pode confessar verdadeiramente a Cristo a menos que nele estejam a mente e o espírito de Cristo. … Precisamos compreender o que seja confessar a Cristo, e em que O negamos. É possível confessar a Cristo com os lábios, todavia negá-Lo com as obras. Os frutos do Espírito manifestados na vida, são uma confissão dEle. Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 101.
A integridade, a firmeza e a perseverança são qualidades que todos devem zelosamente cultivar; pois elas revestem seu possuidor de um poder irresistível – um poder que o torna forte para fazer o bem, forte para resistir ao mal, forte para suportar a adversidade. … os que se colocaram incondicionalmente ao lado de Cristo permanecerão firmes em favor daquilo que a razão e a consciência lhes indica ser o direito. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 226.
A vida do verdadeiro crente revela a presença de um Salvador. O seguidor de Jesus é semelhante a Ele no espírito e no temperamento. Como Cristo, ele é manso e humilde. Sua fé atua por caridade e purifica a alma. Sua inteira vida é um testemunho do poder da graça de Cristo. Testimonies, vol. 7, pág. 67.
27 de setembro
Pág. 276
Herdeiros da Imortalidade
A fim de que, justificados por graça, nos tornemos Seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna. Tito 3:7.
Toda sincera petição de graça e fortaleza será atendida. … Pedi a Deus que faça por vós aquelas coisas que não podeis fazer por vós mesmos. Contai a Jesus tudo. Desvendai-Lhe os segredos de vosso coração; pois os Seus olhos perscrutam os mais íntimos segredos da alma, e Ele vos lê os pensamentos como num livro aberto. Ao haverdes pedido as coisas necessárias para o bem de vossa alma, crede que as recebereis, e as tereis. Aceitai Seus dons de todo o coração; pois Jesus morreu para que pudésseis ter como vossas as coisas preciosas dos Céus, e por fim, um lar na companhia dos anjos, no reino de Deus. The Youth’s Instructor, 7 de julho de 1892.
Não pensem os jovens que podem viver vida descuidada e indulgente, não buscando a preparação para o reino de Deus, e ainda no tempo de prova poder permanecer firmes ao lado da verdade. Precisam procurar fervorosamente, para sua vida, a perfeição que se observa na vida do Salvador, de maneira que, quando Cristo vier, eles estejam preparados para entrar pelos portões da cidade de Deus. O abundante amor de Deus e Sua constante presença no coração darão o poder do domínio próprio, e moldarão e aperfeiçoarão a vida e o caráter. A graça de Cristo guiará os objetivos e propósitos, bem como as capacidades, pelos condutos que outorgarão poder espiritual e moral – poder que a juventude não terá de deixar neste mundo, porém que poderá levar consigo para a vida futura, conservando-o através dos séculos eternos. The Youth’s Instructor, 12 de novembro de 1907.
Todo o Céu está interessado nos homens e mulheres que Deus avaliou em tão alto preço que deu Seu Filho amado à morte, a fim de os redimir. Nenhuma outra criatura de Deus é susceptível de tamanho progresso, tamanho refinamento, tamanha nobreza como o homem. Portanto, se o homem se torna embrutecido por suas paixões degradantes, mergulhado no vício, que espécime se oferece então à vista de Deus! Não pode o homem conceber o que se poderá tornar e vir a ser. Pela graça de Cristo é ele, capaz de constante progresso mental. Que resplandeça a luz da verdade em seu espírito e seja o amor de Deus derramado em seu coração, e ele pode mediante a graça para comunicar a qual Cristo morreu, ser um homem de poder – filho da Terra, mas herdeiro da imortalidade. Carta 26d, 1887.
28 de setembro
Pág. 277
Invencível
A bênção do Senhor enriquece, e, com ela, Ele não traz desgosto. Prov. 10:22.
Quando, em sua angústia, Jacó lançou mão do Anjo, e com lágrimas suplicou, o Mensageiro celeste, a fim de provar-lhe a fé, lembrou-o também de seu pecado, e esforçou-se por escapar dele. Mas Jacó não quis demover-se. Aprendera que Deus é misericordioso, e lançou-se à Sua misericórdia. Fez referência ao arrependimento de seu pecado, e implorou livramento. Ao rever a sua vida, foi impelido quase ao desespero; mas segurou firmemente o Anjo, e com brados ardorosos, aflitivos, insistiu em sua petição, até que prevaleceu.
Tal será a experiência do povo de Deus em sua luta final com os poderes do mal. Deus lhes provará a fé, a perseverança, a confiança em Seu poder para os livrar. Satanás esforçar-se-á por aterrorizá-los com o pensamento de que seus casos são sem esperança. … Terão uma intuição profunda de seus fracassos; e, ao reverem a vida, perder-lhes-ão as esperanças. Lembrando-se, porém, da grandeza da misericórdia de Deus, e de seu próprio arrependimento sincero, alegarão Suas promessas feitas por meio de Cristo aos pecadores desamparados e arrependidos. Sua fé não faltará por não serem suas orações respondidas imediatamente. Apoderar-se-ão da força de Deus, assim como Jacó lançou mão do Anjo; e a expressão de sua alma será: “Não Te deixarei ir, se me não abençoares.” Gên. 32:26. …
A história de Jacó é uma segurança de que Deus não repelirá aqueles que foram atraídos ao pecado, mas que voltaram a Ele com verdadeiro arrependimento. Foi pela entrega de si mesmo e por uma fé tranqüilizadora que Jacó alcançou o que não conseguira ganhar com o conflito em sua própria força. Deus assim ensinou a Seu servo que o poder e a graça divina unicamente lhe poderiam dar a bênção que ele desejava com ardor. De modo semelhante será com aqueles que vivem nos últimos dias. Ao rodearem-nos os perigos, e ao apoderar-se da alma o desespero, devem confiar unicamente nos méritos da obra expiatória. Nada podemos fazer de nós mesmos. Em toda a nossa desajudada indignidade, devemos confiar nos méritos do Salvador crucificado e ressuscitado. Ninguém jamais perecerá enquanto fizer isto. Patriarcas e Profetas, págs. 201-203.
29 de setembro
Pág. 278
Mais que Vencedores
Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio dAquele que nos amou. Rom. 8:35 e 37.
Os servos de Deus não recebem honra do mundo nem são reconhecidos por ele. Estêvão foi apedrejado por pregar a Cristo, e Este crucificado. Paulo foi aprisionado, espancado, apedrejado, e afinal condenado à morte por ser fiel mensageiro de Deus aos gentios. O apóstolo João foi banido para a Ilha de Patmos, “por causa da palavra de Deus e pelo testemunho de Jesus Cristo”. Apoc. 1:9. Esses exemplos de firmeza humana na força do poder divino, são para o mundo um testemunho da fidelidade das promessas de Deus, de Sua permanente presença e mantenedora graça. Obreiros Evangélicos, pág. 18.
Jesus não oferece a Seus seguidores a esperança de alcançar glórias e riquezas terrestres, de viver uma vida livre de provações. Ao contrário, chama-os para segui-Lo no caminho da abnegação e ignomínia. Aquele que veio para redimir o mundo sofreu a oposição das arregimentadas forças do mal. …
Em todos os séculos Satanás tem perseguido o povo de Deus. Tem-no torturado e lhe dado a morte, porém tornaram-se eles conquistadores ao morrer. Deram testemunho do poder de Alguém que é mais forte que Satanás. Podem os ímpios torturar e matar o corpo, mas não podem tocar na vida que está escondida com Cristo em Deus. Podem encerrar homens e mulheres nas prisões, mas não lhes podem encerrar o espírito.
Mediante provas e perseguições, a glória – o caráter – de Deus se revela em Seus escolhidos. Os crentes em Cristo, odiados e perseguidos pelo mundo, são educados e disciplinados na escola de Cristo. Na Terra andam em caminhos estreitos; são purificados na fornalha da aflição. (Isa. 48:10.) Seguem a Cristo através de penosos conflitos; suportam a abnegação e passam por amargos desapontamentos; mas deste modo aprendem o que significam a culpa e os ais do pecado, e olham para ele com repulsa. Tendo sido participantes das aflições de Cristo, podem contemplar a glória além da obscuridade, dizendo: “Tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” Rom. 8:18. Atos dos Apóstolos, págs. 576 e 577.
30 de setembro
Pág. 279
“Ele é Poderoso”
Sei em quem tenho crido e estou certo de que Ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia. II Tim. 1:12.
O apóstolo [Paulo] estava a olhar para o grande além, não com incerteza ou terror, mas com esperança e anelante expectativa. Ao encontrar-se no lugar do martírio, não vê a espada do carrasco ou a terra que tão logo há de receber o seu sangue; olha, através do calmo céu azul daquele dia de verão, para o trono do Eterno.
Este homem de fé contempla a escada da visão de Jacó, que representa Cristo, e que ligou a Terra com o Céu, o homem finito com o infinito Deus. Sua fé se fortalece na recordação de como os patriarcas e profetas confiaram nAquele que é também seu arrimo e consolação, e por quem está dando a vida. Desses santos homens que de século em século deram testemunho de sua fé, ouve ele a segurança de que Deus é verdadeiro. De seus coobreiros apóstolos, que, para pregar o evangelho de Cristo, saíram a enfrentar o fanatismo religioso e as superstições pagãs, a perseguição e o desprezo, que não tiveram a vida por preciosa desde que pudessem levar a luz da verdade em meio aos escuros labirintos da incredulidade – desses ele ouve o testemunho de Jesus como o Filho de Deus, o Salvador do mundo. Do cavalete, das fogueiras, das masmorras, das covas e cavernas da Terra ecoa em seus ouvidos o grito de triunfo dos mártires. Ele ouve o testemunho de almas firmes que, embora despojadas, afligidas, atormentadas, dão testemunho da fé, destemido e solene, declarando: “Eu sei em quem tenho crido.” II Tim. 1:12. …
Resgatado pelo sacrifício de Cristo, lavado do pecado em Seu sangue, e revestido de Sua justiça, Paulo tem em si mesmo o testemunho de que sua alma é preciosa à vista de seu Redentor. Sua vida está escondida com Cristo em Deus, e ele está persuadido de que Aquele que conquistou a morte é capaz de guardar o seu depósito. Atos dos Apóstolos, págs. 511-513.
Sinto-me tão alegre de que podemos ir a Deus em fé e humildade, e fazer-Lhe súplicas até que nossa alma seja posta em tão íntima relação com Jesus, que podemos depositar nossos fardos a Seus pés, dizendo: “Eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia.” II Tim. 1:12. Medical Ministry, pág. 203.

Publicado em 09 - Setembro, Ligado na Videira, Meditação Matinal 2016 | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 9 – Jesus ministrava às necessidades das pessoas – 3º trimestre, 20 a 27 de agosto de 2016

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – clique aqui.

Para a Meditação Matinal de hoje, clique aqui.

Para as antigas Meditações Matinais de Ellen White, clique aqui.

Ignore os anúncios abaixo.

Publicado em Comentário da Lição, Ligado na Videira | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 8 – Jesus manifestava compaixão pelas pessoas – 3º trimestre, 13 a 20 de agosto de 2016

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – clique aqui.

Para a Meditação Matinal de hoje, clique aqui.

Para as antigas Meditações Matinais de Ellen White, clique aqui.

Ignore os anúncios abaixo.

Publicado em Comentário da Lição, Ligado na Videira | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 7 – Jesus desejava o bem das pessoas – 3º trimestre, 6 a 13 de agosto de 2016

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – clique aqui.

Para a Meditação Matinal de hoje, clique aqui.

Para as antigas Meditações Matinais de Ellen White, clique aqui.

Ignore os anúncios abaixo.

Publicado em Comentário da Lição, Ligado na Videira | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 6 – Jesus Se misturava com as pessoas – 3º trimestre, 30 de julho a 6 de agosto de 2016

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – clique aqui.

Para a Meditação Matinal de hoje, clique aqui.

Para as antigas Meditações Matinais de Ellen White, clique aqui.

Ignore os anúncios abaixo.

Publicado em Comentário da Lição, Ligado na Videira | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 5 – Como o evangelho transforma a comunidade – 3º trimestre, 23 a 30 de julho de 2016

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – clique aqui.

Para a Meditação Matinal de hoje, clique aqui.

Para as antigas Meditações Matinais de Ellen White, clique aqui.

Ignore os anúncios abaixo.

Publicado em Comentário da Lição, Ligado na Videira | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário