Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 13 – Evangelho Eterno – 4º trimestre, 20 a 26 de dezembro de 2014

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videiraclique aqui.

Para a Meditação Matinal de hoje, clique aqui.

Para as antigas Meditações Matinais de Ellen White, clique aqui.

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

Estamos hospedados numa plataforma gratuita. Assim, colocam publicidades variadas. Ignore-as.

Publicado em Comentário da Lição, Ligado na Videira | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – JANEIRO – Meditações Diárias – George Knight – Para não Esquecer

Meditação Matinal – Meditações Diárias – JANEIRO 2015 – Ligado na Videiraclique no dia desejado:
[Q01][S02][S03][D04][S05][T06][Q07][Q08][S09][S10][D11][S12][T13][Q14][Q15][S16][S17][D18][S19][T20][Q21][Q22][S23][S24][D25][S26][T27][Q28][Q29][S30][S31] – ou leia na sequência abaixo.
1º de janeiroMeditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Pedras MemoriaisAs doze pedras que tiraram do Jordão, levantou-as Josué em coluna em Gilgal. E disse aos filhos de Israel: Quando, no futuro, vossos filhos perguntarem a seus pais, dizendo: Que significam estas pedras?, fareis saber a vossos filhos, dizendo: Israel passou em seco este Jordão. Josué 4:20-22
Essas não eram meras pedras antigas! Cada uma delas tinha um significado especial. Eram pedras memoriais e cheias de história.
Fisicamente eram bem comuns, parecidas com milhões de outras nos montes da Palestina. Entretanto, aquelas doze pedras apontavam para algo. Elas relembravam a direção de Deus na experiência de Israel.
A Bíblia é um livro histórico baseado em uma série de acontecimentos que foram narrados para apresentar o relato da criação e da redenção. Suas narrativas abarcam um longo período de tempo, passando pelas origens da Terra, a entrada do pecado em nosso mundo, a história do povo de Deus, a encarnação, morte e ressurreição de Jesus, e ainda apresentam profeticamente o desfecho de todo esse drama, anunciando o retorno de Cristo. A Bíblia foi escrita para registrar os atos milagrosos de Deus ao guiar Seu povo.
Quando as igrejas perdem de vista o sentido desses memoriais, é certo que surgirão problemas. À deriva, longe de seu ancoradouro, ficam sem rumo. Na esfera judaico-cristã, a perda da direção começou com o esquecimento do passado – mais especificamente, das antigas orientações divinas.
Sempre que isso acontece, perde-se o senso de identidade. Com isso, desaparecem a missão e o propósito. Afinal, se você não sabe quem é, dentro do plano de Deus, como saberá o que tem a dizer ao mundo?
A história cristã está cheia de grupos religiosos que se esqueceram de onde vieram e, em consequência disso, perderam o direcionamento para o futuro. Tal esquecimento é uma tentação muito real para o adventismo.
Não foi casualmente que, já idosa, Ellen White alertou seus leitores sobre isso. Ela escreveu: “Passando em revista a nossa história, percorrendo todos os passos de nosso progresso até ao estado atual, posso dizer: ‘Louvado seja Deus!’ Quando vejo o que Deus tem executado, encho-me de admiração por Cristo, e de confiança nEle como dirigente. Nada temos a recear no futuro, a não ser que nos esqueçamos a maneira em que o Senhor nos tem guiado” (VE, p. 204).
Conforme veremos em nossa jornada pela história do adventismo, ao longo do ano, nossa igreja tem suas próprias pedras memoriais. Se as negligenciarmos, o risco é todo nosso. (Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hoje clique aqui)
2 de janeiroMeditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempos Empolgantes – 1Tu, porém, Daniel, encerra e sela o livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará. Daniel 12:4
O historiador Ernest Sandeen afirma que “os Estados Unidos, no início do século 19, estava embriagado pelo milênio”. Cristãos de todas as vertentes criam que estavam às portas do reino de Deus.
O terrível e destruidor terremoto de Lisboa, em 1755, havia direcionado a mente das pessoas para muitos assuntos ligados ao fim do mundo. Entretanto, o estímulo mais importante tinha raízes nos acontecimentos da Revolução Francesa, nos anos 1790. as reviravoltas sociais, políticas e religiosas que estavam acontecendo lembravam o povo das descrições bíblicas do fim do mundo. A violência e a magnitude da catástrofe francesa fizeram os olhos dos eruditos das duas margens do Atlântico se voltarem para as profecias bíblicas de Daniel e Apocalipse.
Em particular, muitos estudiosos da Bíblia desenvolveram um súbito interesse pelas profecias de tempo referentes ao ano de 1798. Em fevereiro daquele ano, o general de Napoleão, Berthier, havia marchado até Roma e destronando o papa Pio VI. Por isso, para muitos eruditos bíblicos, 1798 transformara-se num ponto de referência para relacionar a história secular com as profecias bíblicas. Usando o princípio de que, em profecia, um dia equivale a um ano, interpretaram o aprisionamento do papa como a “ferida mortal” de Apocalipse 13:3 e o cumprimento das profecias dos 1.260 dias/anos de Daniel 7:25 e Apocalipse 12:6, 14 e 13:5.
De acordo com Sandeen, os estudiosos da Bíblia acreditavam que tinham agora um “ponto fixo na cronologia profética de Apocalipse e Daniel. Alguns tinham a certeza de serem capazes de definir a própria posição do desenrolar da cronologia profética”.
Por fim, muitos sugeriram que a profecia de Daniel 12:4  estava se cumprindo. Seiscentos anos antes do nascimento de Cristo, o profeta escrevera: “Tu, porém, Daniel, encerra e sela o livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará”. Por causa dos acontecimentos mundiais, a convicção de que o “tempo do fim” havia chegado se tornou muito forte. Como nunca antes, os olhos dos estudiosos da Bíblia “esquadrinharam” as profecias enquanto tentavam obter uma compreensão mais clara dos eventos finais. O fim do século 18 e o início do século 19  testemunharam a publicação de um número sem precedentes de livros sobre profecias bíblicas.
Os eventos previstos nas Escrituras estavam se cumprindo. Além da investigação dos escritos de Daniel como nunca antes, o conhecimento a respeito dessas profecias crescia com rapidez. Era uma época de empolgação profética. (Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hojeclique aqui)
3 de janeiroMeditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempos Empolgantes – 2 –  E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim. Mateus 24:14
O estudo das profecias bíblicas não foi a única reação religiosa à Revolução Francesa. Ocorreu também como desdobramento o maior reavivamento religioso da história dos Estados Unidos. Desde os anos 1790, até a década de 1840, o Segundo Grande Despertamento fez mais do que qualquer outro evento na história do país para transformá-lo numa nação cristã.
Com o reavivamento religioso, aconteceu uma onda de reformas sociais e individuais. Muitos acreditavam que as rupturas políticas e tecnológicas do fim do século 18 e início do século 19 haviam começado a proporcionar os instrumentos para a criação do Céu na Terra. Surgiram centenas de movimentos de reforma para o aperfeiçoamento da sociedade humana.
Grupos pró-reforma apareceram em quase todas as áreas imagináveis de interesse do ser humano, no início do século 19. Foi nessa época que as campanhas para abolição da escravatura, das guerras e do consumo de álcool se tornaram fatores importantes da cultura norte-americana. Além disso, surgiram associações para promover a educação pública, um melhor tratamento aos surdos, cegos, doentes mentais e prisioneiros, a igualdade entre sexos e as raças, e assim por diante. Extrapolando a esfera social, era possível encontrar organizações defendendo mudanças pessoais em áreas de reforma moral e saúde, inclusive a Sociedade Vegetariana Norte-americana.
Religiosos e secularizados uniram energias e recursos na esperança de aperfeiçoar a sociedade por meio de um movimento de reforma. No entanto, os religiosos iam além de seus contemporâneos, criando sociedades bíblicas, associações de missões locais e estrangeiras, uniões de escolas dominicais e grupos para promover a santidade do domingo. Pela primeira vez, os cristãos protestantes sentiram a necessidade de pregar o evangelho a todo o mundo.
A ideia era que as reformas e outros aspectos do Despertamento preparariam o mundo para o início do milênio de Apocalipse 20, durante o qual a Terra continuaria a melhorar até o retorno de Cristo no fim dos mil anos.
Foi a um mundo cheio de empolgação pelo início do milênio que Guilherme Miller começou a pregar sua mensagem do advento. Por conta disso, as igrejas de toda parte o recebiam de braços abertos.
Deus preparou o caminho. Ele sempre faz isso. Nossa tarefa é seguir Sua direção. (Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hoje clique aqui)
4 de janeiroMeditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Um candidato Improvável ao MinistérioEm resposta, Jesus declarou: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o reino de Deus, se não nascer de novo”. João 3:3, NVI
É em meio à exuberância expectante e esperançosa do Segundo Grande Despertamento que encontramos um candidato pouco provável ao ministério.
Na verdade, quando tinha vinte e poucos anos, Guilherme Miller (nascido em 1782) estava mais interessado em rir dos pregadores do que copiar sua conduta. Os melhores alvos para suas piadas eram seus familiares. Os “favorecidos” por essa atividade incluíam o avô Phelps (pastor batista) e o tio Elihu Miller, da Igreja Batista de Low Hampton.
As imitações das peculiaridades devocionais de seu tio e avô foram fonte de muita diversão para os colegas céticos de Miller. Ele imitava, com “seriedade jocosa”, as “palavras, os tons de voz, os gestos, o fervor e até mesmo a tristeza que manifestavam por alguém como ele”.
Além de fazer graça com os amigos, tais exibições revelavam o estado de espírito do jovem Miller. Assim como outros naquela época de rápidas transições culturais, ele passava por uma crise de identidade. Sem dúvida, parte da rebelião contra a família era um aspecto da eterna luta dos adolescentes para descobrir quem são em relação aos próprios pais.
Entretanto, Guilherme nem sempre fora rebelde com a religião. Durante a infância, havia sido intensamente devoto. A primeira página de seu diário (que começou a escrever durante a adolescência) contém a seguinte declaração: “Aprendi a orar ao Senhor ainda novo”. Trata-se da única frase descrita sobre si na introdução do diário; portanto, deveria ser algo importante para ele como característica distinta.
No entanto, isso não duraria. No início da idade adulta, Miller abandonou o cristianismo e se tornou deísta cético e agressivo, que satirizava não só o avô, mas o próprio cristianismo em si.
Contudo, o velho vovô Phelps nunca desistiu dele. “Não se aflija tanto pelo Guilherme”, dizia, consolando a mãe do rapaz. “Ainda há algo para ele fazer pela Causa de Deus”. E foi isso mesmo que aconteceu. Infelizmente para ela, ainda demoraria para que essa profecia se cumprisse.
Phelps nunca parou de orar por seus filhos e netos. Eis uma lição importante para nós que vivemos no século 21. (Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hojeclique aqui)
5 de janeiroMeditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Do Desespero à EsperançaTanto o sábio quanto o insensato têm o mesmo fim. Basta um só dia, e eles são esquecidos. […] O homem morre […]. Viemos do pó e ao pó voltaremos. Eclesiastes 2:15, 16; 3:19, 20, A Mensagem
Miller serviu como capitão durante a Guerra Anglo-americana (1812-1814), e tal experiência proporcionou um ponto de virada em sua vida. Mesmo antes de o conflito começar, ele tinha dúvidas sobre suas crenças deístas.
Ao mesmo tempo, ele começou a refletir sobre o significado da morte. Em 28 de outubro de 1814, escreveu para a esposa, falando sobre um amigo que havia morrido: “Não falta muito e, assim como Spencer, eu também deixaria de existir. Que pensamento solene!”
Os fatos difíceis da vida empurravam o capitão Miller em direção à fé que rejeitara com tanto vigor no passado. No entanto, ele ainda tinha uma esperança. Caso conseguisse encontrar patriotismo verdadeiro nas fileiras do exército, poderia concluir que sua fé no deísmo não estava equivocada. Contudo, escreveu: “Mas os dois anos de serviço militar foram suficientes para me convencer de que eu estava errado nesse aspecto também”. O retrato negativo da natureza humana encontrado na Bíblia parecia mais correto do que sua perspectiva deísta, a qual ensina que a natureza humana é, em princípio, boa e justa; porém, Miller não conseguia comprovar tal fato na história. “Quanto mais eu lia, mais assustadoramente corrupto o caráter do ser humano se apresentava. Não conseguia encontrar nenhum momento positivo na história. Os conquistadores e heróis pareciam demônios em forma humana. […] Comecei a desconfiar de todas as pessoas”.
A crise final de Miller em relação ao deísmo está ligada ao que parece ter sido um ato divino na história, durante a batalha de Plattsburg, em setembro de 1814. Nela, o “arremedo de um exército” norte-americano derrotou as forças superiores de membros regulares do exército britânico, alguns dos quais haviam vencido Napoleão fazia pouco tempo.
Os Estados Unidos estavam certos da derrota. Miller concluiu: “Um resultado tão surpreendente e contrário a todas as probabilidades me pareceu obra de uma força mais poderosa do que a humana”.
Assim como o autor de Eclesiastes, Miller foi forçado pelas dificuldades da vida a olhar mais uma vez para Deus. A boa notícia é que as dificuldades ainda continuam a desempenhar a mesma função em nossos dias. (Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hoje clique aqui)
6 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Deus Opera de Maneira InesperadaDe sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus. Romanos 10:17, ARC

7 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Homem da PalavraLâmpada para os meus pés é a Tua Palavra e, luz para os meus caminhos. Salmos 119:105

8 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Descoberta SurpreendenteEle me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado. Daniel 8:14

9 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Descoberta EmpolganteFui, pois, ao anjo, dizendo-lhe que me desse o livrinho. Ele, então, me falou: Toma-o e devora-o; […] na tua boca [será] doce como mel. Apocalipse 10:9

10 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
A Interpretação de MillerNenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; […] mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo. 2Pedro 1:20, 21, ARC

11 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Pecado do Estudo da BíbliaFilho do homem, Eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel […]. Quando Eu disser ao perverso: Certamente, morrerás, e tu não o avisares […], esse perverso morrerá na sua iniquidade, mas o seu sangue da tua mão o requererei. Ezequiel 3:17, 18

12 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Cuidado com o que Prometeu a DeusEntão, entendeu Eli que era o SENHOR quem chamava o jovem. Por isso, Eli disse a Samuel: Vai deitar-te; se alguém te chamar, dirás: Fala, SENHOR, porque o Teu servo ouve. 1Samuel 3:8, 9

13 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Mensagem Poderosa em Roupagem ComumDisse-lhe Deus: Sai e põe-te neste monte perante o SENHOR. Eis que passava o SENHOR; e um grande e forte vento fendia os montes e despedaçava as penhas diante do SENHOR, porém o SENHOR não estava no vento; depois do vento, um terremoto, […] e, depois do fogo, um cicio tranquilo e suave. 1Reis 19:11, 12

14 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Clamor da Meia-noiteMas, à meia-noite, ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo! Saí-lhe ao encontro! Mateus 25:6, ARC

15 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Napoleão da ImprensaVi outro anjo […] dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo. Apocalipse 14:6, 7

16 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Uma Mensagem UrgenteIde, pois, para as encruzilhadas dos caminhos e convidai para as bodas a quantos encontrardes. Mateus 22:9

17 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Zeloso Charles FitchPois o zelo da Tua casa me consumiu. Salmos 69:9

18 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
A Voz dos AnjosSeguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. Apocalipse 14:8

19 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
José Bates Invade o SulO meu Deus enviou o Seu anjo, que fechou a boca dos leões. Eles não me fizeram mal algum. Daniel 6:22, NVI

20 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Milerismo Afro-americanoO Espírito do Senhor está sobre Mim, pelo que Me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-Me para proclamar libertação aos cativos e […] para pôr em liberdade os oprimidos. Lucas 4:18

21 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Mulheres Adventistas em AçãoE Míriam cantou para elas assim: Cantem ao SENHOR porque Ele conquistou uma vitória gloriosa; Ele jogou os cavalos e os cavaleiros dentro do mar. Êxodo 15:21, NTLH

22 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Ano do Fim do MundoEis que vem com as nuvens, e todo olho O verá. Apocalipse 1:7

23 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Movimento do Sétimo MêsO décimo dia deste sétimo mês é o Dia da expiação. Levítico 23:27, NVI

24 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Doce e AmargoTomei o livrinho da mão do anjo e o devorei, e, na minha boca, era doce como mel; quando, porém, o comi, o meu estômago ficou amargo. Apocalipse 10:10

25 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
A Orientação DivinaOra, nós esperávamos que fosse ele quem havia de redimir a Israel. Lucas 24:21

26 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempo de Dispersão – 1Eis que vem a hora e já é chegada, em que sereis dispersos. João 16:32

27 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempo de Dispersão – 2Então, Jesus lhes disse: […] Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas. Mateus 26:31

28 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempo de Dispersão – 3Tudo, porém, seja feito com decência e ordem. 1Coríntios 14:40

29 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempo de Dispersão – 4Pela fé, entendemos. Hebreus 11:3

30 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Conheça José BatesEis que Eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores. Gênesis 28:15

31 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Bates PrisioneiroBasta a cada dia o seu próprio mal. Mateus 6:34, NVI

Publicado em Meditação Matinal 2014 | Marcado com , | Deixe um comentário

31 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias

31 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
O Bates PrisioneiroBasta a cada dia o seu próprio mal. Mateus 6:34, NVI

(Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hoje – clique aqui)

Publicado em Meditação Matinal 2014 | Marcado com , | Deixe um comentário

30 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias

30 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Conheça José BatesEis que Eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores. Gênesis 28:15

(Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hoje – clique aqui)

Publicado em Meditação Matinal 2014 | Marcado com , | Deixe um comentário

29 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias

29 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempo de Dispersão – 4Pela fé, entendemos. Hebreus 11:3

(Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hoje – clique aqui)

Publicado em Meditação Matinal 2014 | Marcado com , | Deixe um comentário

28 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias

28 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempo de Dispersão – 3Tudo, porém, seja feito com decência e ordem. 1Coríntios 14:40

(Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hoje – clique aqui)

Publicado em Meditação Matinal 2014 | Marcado com , | Deixe um comentário

27 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias

27 de janeiro – Meditação Matinal 2015 Ligado na Videira – Meditações Diárias
Tempo de Dispersão – 2Então, Jesus lhes disse: […] Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas. Mateus 26:31

(Veja o Comentário da Lição da Escola Sabatina para hoje – clique aqui)

Publicado em Meditação Matinal 2014 | Marcado com , | Deixe um comentário